💎 A Maldição do Diamante Negro de Orlov

Muitas vezes confundidos com a cor negra, os hipnóticos tons profundos de «armas de metal» deste lendário diamante negro lutam para esconder os reflexos de um passado muito sombrio, começando com um roubo de um ídolo hindu e resultando em nada menos que três misteriosos suicídios.

O Diamante Orlov Negro, também conhecido como o Olho do Diamante Brahma, pesa 67,50 quilates e já fez parte de um diamante não cortado de 195 quilates muito maior, que pode ser rastreado até a Índia do século 19.

A misteriosa lenda do diamante Orlov

Diz a lenda que a pedra não cortada originalmente figurava como um dos olhos em uma estátua de Brahma, o Deus hindu da criação, que se encontrava em um santuário na cidade de Pondicherry, no sul da Índia.

Acredita-se que o diamante negro tenha sido roubado da estátua por um monge viajante, após o que se tornou amaldiçoado.

A misteriosa lenda do diamante Orlov

Em 1932 o diamante encontrou seu caminho para os Estados Unidos, importado por um negociante de diamantes europeu chamado J.W. Paris, que estava em busca de um comprador.

Pouco se sabe sobre J.W. Paris, mas dentro de uma semana após chegar em Nova York, ele havia vendido o diamante, e pouco depois, em 7 de abril do mesmo ano, ele chegou ao topo de um arranha-céu de Manhattan no coração da 5ª Avenida e pulou para a morte, tornando-se o que alguns dizem ser a primeira vítima conhecida da maldição do diamante.

Voltando à virada do século 20, o diamante estava na posse de uma herdeira russa chamada Princesa Nadia Vygin-Orlov; a fonte do nome do diamante negro, que foi concedido após um incidente muito posterior de onde a lenda nasceu.

Durante a revolução russa de 1917, a princesa Nadia fugiu da Rússia para a segurança de Roma, Itália, assim como muitos reais russos na época.

A misteriosa lenda do diamante Orlov

Foi algum tempo depois; 2 de dezembro de 1947, para ser mais preciso, cerca de 15 anos após a trágica morte de J.W. Paris, quando a princesa Nadia saltou para a morte de um prédio no centro de Roma, no que se acreditava ter sido um suicídio.

Na época de sua morte, a Princesa era esposa de um joalheiro russo, mas pouco mais se sabe sobre as circunstâncias de sua morte.

Apenas um mês antes da morte da princesa Nadia, outro membro da realeza russa, a princesa Leonila Viktorovna-Bariatinsky, havia saltado para sua morte, no que mais uma vez se acreditava ter sido um suicídio.

No momento de sua morte, a Princesa Leonila era casada com o Príncipe André Glinstine, oficial da Marinha Real, mas não há mais detalhes disponíveis sobre sua vida no momento de seu salto fatal, embora mais tarde tenha sido descoberto que antes de sua morte ela havia sido a dona desta agora infame pedra preciosa, o Diamante Orlov Negro.

Califica este artículo

Dejar una respuesta

Tu dirección de correo electrónico no será publicada.